LIN e o outro lado do bambuzal
comentários: Peter O'Sagae
Dobras da Leitura - out/2004



Lin não sabe que todo o mundo tem segredo. Lin, um filhote de raposas, nem sabe mesmo guardar os próprios segredos! Vai um dia, quando o sol penetra entre as folhagens, o filhote sai correndo e se depara com o imenso bambuzal escondendo o outro lado do mundo. Um dia, quando dominar 'a arte da transformação', que faz de uma raposa uma verdadeira raposa, poderá explorar os limites além da floresta.

No bambuzal, nasce um broto. Demorará tempo para que ele possa conhecer o mundo comentado por todos. Vai um dia, outro dia, esticando-se... mas não alcança a altura do céu, nem mesmo a altura do maior de todos os bambus. O mundo do pequeno broto é forrado de histórias que cantam os passarinhos, as aventuras narradas por Lin e uma música longe embalada pelo vento.

O mundo de Yumi é composto por sons, cheiros e sabores, vento na folhagem, chá, bolinhos deliciosos preparados pelo carinho da mãe, melodias que ela sabe adivinhar à flauta. Vai um dia, uma visita inesperada. As tardes da menina se transformam: espera, alegrias e segredos.

O encontro e a amizade desses três personagens movimentam o afetuoso conto de Lúcia Hiratsuka. A narrativa se desenrola ágil e calma, através de curtos episódios: os capítulos são articulados como cinema, o tempo passando numa sucessão de cenas. É da literatura-arte que o verbal projete imagens na mente leitora e igualmente module seu próprio ritmo ao evocar emoção. O texto de Lúcia possui essas qualidades. As ilustrações da própria autora, em aquarela misturada à técnica japonesa do sumiê, revelam o gesto que não se repete de cada pincelada e pontuam o texto e a narração.

Apresentar este trabalho em Dobras da Leitura é uma satisfação e encerra também a minha espera. Desde 1997, sentia-me cativado pelo texto original e aguardava vê-lo livro para compartilhar ;-) Veio o dia!